Salvador | Bahia | Brasilcontato@livrepouso.com.br

Entenda melhor o Trem de Pouso

Post 3 of 25

Trem de Pouso é o conjunto das partes destinadas a apoiar o avião no solo sendo o seu principal componente é o pneu. O Trem de pouso pode ser Fixo, Retrátil ou Escamoteável. O trem de pouso do tipo Fixo pode ser visto na maioria das aeronaves Cessna como o C172, já o trem Retrátil podemos ver no antigo DC-10. Esse tipo de trem é caracterizado por deixar uma parte das rodas para fora, ele não se recolhe por completo. O do tipo  Escamoteável  temos diversos exemplos como a famila Boeing 737 ou Airbus A310 e muitos outros, pois esses se recolhem por completo. Como podemos ver a baixo.

 

Trem Escamoteável

Trem Escamoteável

 

Trem Fixo

Trem Fixo

 

Trem Retrátil

Trem Retrátil

 

Falando agora sobre os tipos de trem de pouso, temos o trem convencional e o triciclo. O convencional possui dois pneus frontais e um traseiro que fica sob a empenagem. Já o triciclo, possui um pneu frontal e dois traseiros dispostos sob a asa. No trem de pouso temos outro componente muito importante além da roda, chamado de amortecedor. Temos dois tipos de amortecedores que são eles, Hidráulicos e Hidropnemáticos. O amortecedor hidráulico é constituído por uma haste que desliza dentro de um cilindro contendo um fluido oleoso, esse fluido realiza o amortecimento. Já o Hidropneumático dentro dele o ar ou gás dentro do cilindro é comprimido a uma pressão elevada para suportar o peso do avião.

Outra peça fundamental que está no trem de pouso é o conjunto de rodas, que é constituído pelos pneus, roda e freios. Os pneus e as rodas são semelhantes aos dos automóveis, já os freios além de exercerem a função básica de frenagem, também são utilizados para efetuar curvas fechadas em manobras no solo, para isso basta aplicar o freio diferencial, que consiste em aplicar apenas o freio do lado que é executada a curva, juntamente com o pedal do leme. Aproveitando que falamos em curva, é pelo trem de pouso, como já dito a cima que efetuamos as curvas através do controle direcional de solo, que normalmente na grande maioria das aeronaves é efetuado pelo trem do nariz, mas também tem aqueles que efetuam pela bequilha e que são controlados pelos pedais do leme.

, , , ,

Este artigo foi escrito por Rafael

5 comentário:

Yago Reis17 de maio de 2013 at 3:13Responder

Só uma observação comandante, o trem de pouso do 737 não é escamoteável, ou seja, não possui portas que encobrem totalmente suas pernas ao serem recolhidas. O trem principal (sob as asas) gira para dentro de porões circulares na barriga da aeronave, ficando suas pernas encobertas por portas que completam o perfil sob as asas. No entanto, as rodas e pneus ficam com as suas superfícies expostas ao ar. Tirando essa bobeirinha foi um bom texto. Abraço e bons voos.

Rafael Mamede26 de maio de 2013 at 15:09Responder

Caro Yago agradeço sua observação, de fato o trem do B737 não é escamoteável sua colocação está correta, agradeço pelo comentário e pela correção ! Abraço.

Daniel Dalfré5 de junho de 2016 at 11:27Responder

O trem do pouso do 737 é escamoteável. Mesmo que, olhando DE BAIXO, seja possível ver as rodas, elas ficam totalmente guardadas no compartimento. Um trem de pouso é considerado escamoteável quando, ao olharmos o “PERFIL” da aeronave, não seja possível ver nenhuma parte dele, ou seja, ele não exercerá nenhuma influência aerodinâmica de arrasto quando recolhido (que é o caso do 737). Para que o trem seja considerado retrátil, é preciso que, olhando o “PERFIL” da aeronave, seja possível ver partes do trem. E como essas partes serão visíveis, obviamente exercerão, mesmo que de forma bastante reduzida, influência aerodinâmica de arrasto durante todo o vôo (caso do DC-3).

Sérgio22 de maio de 2014 at 6:54Responder

Qual o peso que sustenta o dianteiro do b737

Rubens barboza25 de maio de 2016 at 19:14Responder

737 trem misto pois boquilha escamoteáveis e principal retratil

Menu
%d blogueiros gostam disto: